O centauro de sagitário

Sou do tipo enrolão. A tempos estou querendo começar a ler tanto Next Dimension, quanto Episódio G, mas não começo. Então fico por aí, vendo spoilers que me aticem a curiosidade, e quem sabe não me deem o ímpeto de começar a ler.

Esses dias, tava lá no parceiro, Pra sempre Saint Seiya, e vi por lá um post sobre os capítulos mais recentes do Next Dimension, e olha, fiquei admirado! O que o Kurumada anda usando para escrever esse mangá?
Nos capítulos, foi revelado o cavaleiro de ouro de Sagitário da época anterior em que se passa o mangá. Gestalt de Sagitário, que possui a forma de um centauro!





Sim, o cavaleiro de sagitário dessa época é um centauro. E a história é ainda mais curiosa. Seu corpo é assim porque, no passado, quando a égua de Gestalt morreu, ele implorou a Odysseus (não sei quem é esse) que a revivesse. Odysseus então, muito sagaz, transforma Gestalt em um centauro. O cavaleiro acredita que sua parte animal seja sua égua revivida, e carrega-a consigo para onde vá.

A atitude do tal Odysseus é tipicamente de um ser da mitologia grega, mas não deixa de ser bizarro que entre os doze de ouro, um deles seja um centauro. Os capítulos posteriores revelaram que, na verdade, Odysseus não o transformara em centauro, mas o colocara sob uma poderosa ilusão, tão
poderosa que até os que estavam em volta o enxergava na forma bestial.
Sendo ilusão ou não, mesmo que tenha sido desfeita, tivemos por um bom tempo um centauro cavalgando por ai, disparando flechas e defendendo a casa de sagitário. Não me resta escolha, a não ser ler essa loucura!

Hellyeah

Existem bandas que calam fundo em nossas almas. Bandas que nos dão um prazer imenso ao serem descobertas, que nos fazem pensar “como vivi tanto tempo sem isso? ” A superbanda Hellyeah, que conheci recentemente enquanto passeava por clipes de rock no youtube, teve esse impacto sobre mim.


Formada por membros de outras bandas, o Hellyeah de Heavy metal, com influências de groove e metal alternativo, com um som bem pesado, que varia entre vocais mais agressivos em algumas músicas, e um vocal mais melódico em outras. Formada por Chad Gray, vocalista do Mudvayne; Tom Maxwell, guitarrista do Nothingface; Bob Zilla, baixista do Damageplan; Vinnie, baterista ex-Pantera e atual Damageplan; e Greg Tribbett, guitarrista também do Mudvayne. Um supergrupo que começou a gravar em 2006, já tendo cinco álbuns de estúdio.

Conheci a banda com a sensacional Moth, que me ganhou de tantas formas... o clipe, as expressões que Chad Gray faz enquanto canta me passam uma sensação de dor, assim como sua voz, que parece estar carregada de dor e melancolia. E a letra, calou fundo em meu coração. Uma letra poderosa, forte e profunda, sobre a vida, sobre o quão ruim as coisas podem ser.


Não deu outra, já escutei essa música tantas vezes, e ela sempre tem o mesmo impacto. Já era, estava apaixonado pela banda. Já escutei dois dos 5 álbuns deles, escutei Blood for Blood de 2014 e Unden!able de 2016. Ambos são muito bons, e tem essa variação das músicas, algumas são mais agressivas, e outras tem uma carga de sofrimento em sua melodia, por assim dizer. Black December, Hush, Human e Love Falls foram as que mais gostei. Todas carregadas pelos mesmos sentimentos de Moth, com a voz enrouquecida de Chad transmitindo aquilo que está cantando com muita precisão.


É isso meus caros leitores, espero que tenham curtido o som! Nos vemos no próximo post!

Levantem-se titãs!

Está começando mais uma temporada de animes! Não que eu acompanhe todos os que lançam (embora nessa temporada eu queira acompanhar mais de perto), mas essa já começa com tudo, com os dois pés na porta.
A segunda temporada de Shingeki no Kyojin finalmente chegou! E chegou com tudo. A abertura já chega mostrando o nível que vai ser:




Sensacional. Ação, violência e uma animação frenética como as coisas tem que ser. O primeiro episódio já começa com a revelação de que titãs gigantescos estão dentro das muralhas. Seriam elas feitas de titãs? A igreja aparenta saber a verdade, mas não planeja externa-la.
Em contrapartida, a muralha Rose parece ter sido violada, e titãs começam a aparecer em seu interior. Junto com eles, vem o grotesco titã bestial. Uma mistura de titã e macaco, no anime ele me pareceu bem mais bizarro, com uma pança enorme, e braços finos, mas muito compridos.
Toda a cena de luta, envolvendo o pobre Mike, que ficou para trás para segurar a invasão inicial ficou demais. E é claro, quando o bestial resolve falar, tudo fica sinistro e tenso. Mesmo sabendo como tudo ia se desenrolar, fiquei triste pelo pobre Mike, que teve não só seu corpo, mas sua alma devorada pelas feras.


Os titãs continuam grotescamente animados. Uns mais bizarros que os outros, eles são a personificação do terror. Ao que tudo indica, vai ser uma grande temporada. Grande, porém, pequena, já que somente 12 episódios. A esperança é que seja renovada para mais dois.
Vi uma conversa por aí de que produzir um anime de 26 episódio mantendo a qualidade da animação é algo difícil hoje em dia, então, para que a coisa saia bonita de se ver, como a gente quer, eles optaram por uma temporada menor. Se esse é o motivo, aplausos.
Aproveito pra comentar uma curiosidade. O que não falta é gente na internet agourando o anime, dizendo que agora vai entrar na parte de politicagem, e vai ficar ruim. Engraçado, povo que assiste anime tá acostumado a ver animes iguais naruto, onde crianças são definidas como líderes de suas aldeias, mesmo tendo em seus corpos um demônio de areia, ou tipo o Re:Zero, onde um bando de menininhas de cabelo colorido vão resolver toda a politicagem do reino, e quando algum mangá traz alguma abordagem um pouco mais densa, afinal, temos aqui uma história onde uma grande verdade vem sendo escondida da humanidade, e aparentemente, a igreja e a elite conhecem-na. Isso não tem como se resolver de forma simples. Gente, menos mimimi, se tu não gosta, não fica bostejando por aí.
Tendo ação, ou uma complexa trama política, tenho certeza que irei gostar.



Já Boku no Hero teve um começo bem lento, quase um episódio sumário. Haverá um torneio, um evento esportivo de visibilidade mundial, uma grande chance de ingressar em uma grande agência de heróis. Essa é uma ideia interessante, que os heróis sejam divididos por diferentes organizações, embora esse seja um assunto que provavelmente só será abordado no futuro, me deixou curioso.
Quanto ao torneio, é o clássico de todo Shounen, não é mesmo? Ao que tá parecendo, o anime vai dar um enfoque legal em alguns outros personagens que não tiveram muita participação na primeira (aquele ruivo de gelo), e torneios são sempre uma boa forma de explorar e desenvolver não só poderes, como também as personalidades da galera.
All Might, de longe o melhor personagem desse anime, está ainda pior em sua condição, não conseguindo manter sua forma nem por uma hora direito. Na visão dele, esse torneio é a oportunidade do jovem Midoriya assumir seu lugar como novo símbolo de esperança.
Só espero que nessa temporada ele seja menos chorão. Essa ideia por trás do All Might, e o símbolo de esperança é muito boa. Me faz pensar muito em quadrinhos, mais especificamente na Dc.
Como essa temporada vai ter 26 episódios, vão desenvolver as coisas com mais calma. Tem tudo pra ser uma boa temporada.

Vou ver se falo um pouco dos demais animes que for assistindo em outros posts. Mas não prometo nada, afinal, minha preguiça se tornou algo além de meu controle. Até a próxima!
←  Anterior Proxima  → Inicio

Seguidores

Total de visualizações

Link-me

CronicaEx
Connection -

Parceiros

Popular Posts